Como estimular a responsabilidade infantil: 6 dicas para envolver seus filhos nas lições de casa

Descubra como estimular a responsabilidade infantil desde cedo, envolvendo seus filhos nos deveres escolares. Dicas valiosas para promover autonomia e crescimento saudável.

Meus filhos voltaram a estudar, como estimular a responsabilidade infantil e incentivá-los a fazer seus deveres de casa?

O primeiro passo é sempre considerar a idade da criança para estabelecer limites, e inspirá-las a assumir suas pequenas responsabilidades desde cedo! Sim, crianças podem assumir pequenas responsabilidades.

Sabe aquele dever de casa que a professora da escolinha manda? Desde o princípio, ensine a criança que sempre que tiver um dever para fazer, é bom priorizá-lo e somente depois a criança vai poder brincar.

Esse é um processo bastante complexo porque naturalmente a criança não compreende ainda sobre deveres e direitos, mas com o tempo, elas vão compreender. Persista! Com o passar do tempo, até meu filho caçula passou a pegar o dever da creche e fazer sozinho.

Às vezes, as crianças tomam a iniciativa, o que não quer dizer que estão amadurecendo cedo demais, mas que estão entendendo que têm coisas que eles podem fazer e isso é bom. Ter segurança e sentir-se capaz é maravilhoso para o desenvolvimento dos pequenos.

E então eles vão aprendendo que cumprir suas responsabilidades é bom e gratificante e como é bom não ter preocupações causadas por mera negligência. Geralmente, quando meu filho fazia seu dever por conta própria, eu só tinha que confirmar que estava tudo certo, ou que precisava fazer uma correção… mas o dever de casa sempre é feito.

Isso não quer dizer que nenhum deles vai se esquecer de cumprir alguma de suas obrigações, ou que vão deixar de fazer deliberadamente, porém, não se desespere e nunca deixe de insistir e estimular.

Leia também: Educar filhos – Como ensinar valores às crianças

Dicas para estimular a responsabilidade infantil

É possível estimular a responsabilidade infantil através de atitudes simples

1. Apoie sempre: Apesar de o dia a dia ser muito exaustivo, tire um tempinho para olhar a agenda e/ou o caderno de seu filho. Se interesse pela vida escolar do seu filho.

2. Mostre como fazer: Sem julgamentos ou críticas. Estimule-os a pensar, e sempre os parabenize pelas conquistas. E mesmo que seu filho não seja um gênio da matemática, mas sempre tenha feito todos os deveres, o parabenize. Seja positivo.

3. Nunca os compare: é importante para que eles busquem o aperfeiçoamento pessoal pensando em si e não porque querem superar alguém.

4. Não prometa recompensas: Que nossos filhos aprendam que cumprir responsabilidades é um dever, já que todos vivemos em sociedade e cada um tem seu papel, e não é uma boa ideia fazer as crianças pensarem que elas podem sempre ganhar presentes por cumprirem suas obrigações.

5. Não desvalorize as pequenas vitórias: Meu filho hoje chegou da escola super feliz porque consegui acertar todas as continhas de matemática, então eu o parabenizei! E assim ele ficará mais confiante quando estiver diante de outro desafio! E aos poucos, conforme for crescendo, ele vai se sentir amado e capaz… isso nos leva para o próximo ponto a considerar:

6. Valorize as preocupações deles e aproveite para lhes ensinar lições valiosas: Na mesma conversa com meu caçula, ele contou como ficou triste quando a professora colocou toda a classe de castigo e eles não puderam ir para a quadra para a aula de educação física.

Alguns pais costumam não dar importância para a pequena preocupação ou frustração de seus filhos, o que é um erro, pois quando os pais fazem isso, sacrificam a possibilidade de ter uma relação saudável com seus filhos pelo resto da vida.

A importância da valorização dos sentimentos

Pense comigo: Imagine uma pessoa que não dá a mínima importância para o que você sente ou diz. Pensou?

Então, é assim que muitos filhos crescem, sempre em busca da validação e não é à toa que, quando chegam na adolescência, os ânimos estão tão alterados, porque muitos filhos não se sentem importantes.

A creche ou a escola são os primeiros lugares onde nossos filhos passam a ter contato com “o mundo”. Nesses lugares, eles têm que dividir a atenção da professora com os colegas, mas se eles se sentirem sozinhos ou que não têm valor, terão dificuldades em se desenvolver nesse meio!

Lidando com desafios e erros

A volta às aulas sempre virá com o sentimento do medo, o que é bem natural, mas nossos filhos precisam sentir que mesmo se algo sair do controle (por exemplo, seu filho esqueceu de fazer o dever de casa e você também esqueceu de olhar o caderno dele), eles terão um jeito de recomeçar.

Manter a calma, aceitar as consequências dos erros (lembra do dever esquecido?) e seguir em frente. Mesmo seguindo todas essas dicas, haverá momentos em que as coisas sairão do controle. Talvez seu filho acabe deixando de fazer um dever, ou tenha alguma dificuldade com alguma matéria, normal, mas calma. TODO O SEU ESFORÇO VALEU A PENA.

Se teve alguma coisa que saiu do lugar, mesmo você se esforçando tanto, respire fundo, e… CONTINUE!

O fato de algumas coisas darem errado não quer dizer que você não está fazendo certo. Até porque, tem meses à frente para aperfeiçoar “a técnica”. Anos, na verdade.

Resumindo: Apoie, mostre como se faz, não compare, cuide com as palavras, não prometa recompensas, não desvalorize as pequenas vitórias nem as preocupações… E cada uma destas dicas você pode usar não só com seus filhos, mas com o esposo, com amigos, parentes, etc.

O que importa é demonstrar que se importa e que você está ali e com o tempo eles vão aprender com você. Uma parceria dessas tem tudo para dar certo.

Imagem de capa: Canva

Tem mais dúvidas sobre como estimular a responsabilidade infantil? Deixe nos comentários!

Luzia Souza

Luzia Souza é uma contista baiana, que tem contos publicados em mais de vinte antologias e duas revistas literárias. Ama ler, ver séries e como desenhista autodidata tem ilustrações publicadas nas revistas digitais Mar de Lá e Arte do Multiverso. Tem três filhos que ama muito! Uma sonhadora que está aprendendo a lidar com as próprias falhas e fazer seu próprio caminho de tijolos amarelos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aperte X para sair